terça-feira, 30 de outubro de 2012

Como iniciar na corrida de rua?

Perdi a conta de quantas vezes eu ouvi a frase: "Eu adoro caminhar no parque, mas não corro!"
ou então "Eu tentei, mas quando meu coração quase saiu pela boca, desisti! Correr não é pra mim!"

O medo de iniciar ou tentar atividades aeróbicas intensas, é provocado pela terrível sensação de mal estar gerada pelo aumento excessivo da frequência cardíaca. E também fica evidente que a maioria  das pessoas não procuram uma assessoria esportiva para ajudá-las. Normalmente procuram um amigo que já corre para pedir dicas ou tentam por conta própria.

É complicado iniciar com um amigo. Ele precisa estar disposto a abrir mão do treino dele para acompanhar o seu ritmo, e até parar e caminhar por longos trechos para que recupere seu fôlego. Dificilmente isso funciona, é comum o amigo tentar estimular o companheiro iniciante e puxar o ritmo com frases de apoio do tipo "O que é isso!! Você consegue!", "Vamos lá! só mais um pouco". Mas nesse ponto você já está desesperado, e ao perceber que o ritmo imposto é insuportável, você desiste!

Quando o iniciante tenta por conta própria, a sua inabilidade para dosar o ritmo, o coração disparado e a falta de conhecimento sobre como criar o condicionamento aeróbico, levam-no ao desespero e à falta de fôlego! E então desiste. Descobre que correr não é pra ele!

O ponto chave do problema é o seguinte. Quando nosso condicionamento aeróbico está em um nível muito baixo, ao realizarmos a transição da caminhada rápida para o trote lento, não existe um nível de exigência física ou intensidade de treino que permita ao coração trabalhar em um ritmo intenso, mas confortável!
O que acontece na transição da caminhada rápida para o trote, é o rápido aumento da frequência cardíaca até o limite máximo, impedindo a continuidade do treino.

A solução para esse problema é simples! Basta aceitar essa limitação e entender que nas fases iniciais do condicionamento aeróbico, o maior tempo de trote contínuo pode não passar de um ou dois minutos! 
Por exemplo, um treino com repetições de intervalos com noventa segundos de trote e quatro minutos de caminhada para recuperação, poderia ser adequado para um iniciante.
A intenção é criar uma situação que imponha alguma intensidade ao funcionamento do corpo, mas restringindo a duração, de modo a evitar dores, mal estar e desespero por parte do praticante.

Com o passar das semanas aumentam-se as repetições, ou seja, o tempo total do treino aumenta. Depois aumenta-se o intervalo de tempo trotando enquanto é reduzida a duração da caminhada. 
Então acontece o momento mágico da iniciação à corrida! Quando a caminhada é reduzida a zero. O iniciante trota por 30 minutos ininterruptos a ao terminar, suado, feliz, se sente realizado e capaz. Aquele coraçãozinho minguado já se tornou apto a manter uma atividade aeróbica moderada por um tempo moderado, os músculos das pernas estão mais fortes, talvez algum peso tenha sido perdido. Nada mal para quem começou com noventa segundos!

O prazer da conquista e da realização pessoal não inigualáveis. Depois de vencida a etapa inicial, tudo depende da regularidade dos treinos para que, sem sofrimento, conquiste-se os 5, 10, 21 ou 42 Km. Basta respeitar o corpo e permitir o tempo necessário para que todos os sistemas envolvidos na atividade física se adaptem e se desenvolvam. 

Qualquer iniciante deve considerar que para realizar qualquer esporte é necessário ter a informação correta sobre como proceder. Não faz sentido arriscar sua qualidade de vida ao realizar uma atividade física que deveria aumentar sua qualidade de vida! Para tanto, consulte um médico, descubra em que condições seu corpo se encontra antes de começar. Procure um profissional para guiá-lo no caminho do esporte. Além de fazer as coisas corretamente, você vai conhecer um grupo de pessoas que tem o mesmo interesse que você, e vão estimulá-lo a prosseguir!