quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Trilha Banheira de Pedra em Paranapiacaba

Paranapiacaba é um local fantástico!  Oferece uma natureza exuberante e está muito próximo de São Paulo.

Para informações detalhadas sobre como chegar em Paranapiacaba, clique no link abaixo e leia minha primeira postagem sobre Paranapiacaba onde falo sobre um passeio de Mountain Bike.

A Trilha Banheira de Pedra, tem este nome, já que no ponto final da trilha, há uma pequena queda d'água onde se forma uma banheira de pedra. Lugar perfeito tomar banho e curtir uma hidromassagem natural, com direito a massagem nas costas e vista para o vale logo abaixo.
Fiz essa trilha no começo de dezembro de 2012.


Queda d'água e banheira.


Banheira vista de cima.

A trilha tem aproximadamente 8,5 Km (somente a ida). Demorei 3 horas e 40 minutos para chegar lá, com muitas pausas para fotos e caminhando tranquilamente.

O ponto de partida foi o centro de informações turísticas onde a altitude é 809 metros, o ponto mais alto do trajeto fica a 1013 metros e o ponto final da trilha é o local mais baixo, com 690 metros.

Sempre que vou a Paranapiacaba contrato como guia o Osmar Losano que mora na vila, é muito competente e conhece bastante a história da vila.
Clique aqui para acessar o perfil do Osmar no facebook.

Osmar Losano, guia em Paranapiacaba
Algo que o diferencia como guia é o fato de ser biólogo. Ele tem um olhar treinado para localizar animais e insetos ao longo do trajeto. Na foto abaixo um sapo cururu, muito simpático, que cruzou nosso caminho. Não resisti e o obriguei a uma sessão de fotos! :)



Iniciamos a caminhada na frente do centro de informações turísticas, e seguimos pela Rua Nova.


Uma curiosidade é que a Rua Nova é até hoje a rua mais nova de Paranapiacaba, já que foi a última rua a ser criada na vila.




Logo que saímos da vila, mas ainda na estrada de terra que leva até a mata mais fechada, já encontramos uma vegetação bastante exuberante, com muitas bromélias e flores.


Após uns 40 minutos caminhando, saímos da estrada de terra e entramos na trilha propriamente dita. Ela é bem definida mas é estreita e a vegetação densa protege do sol. Os insetos não incomodam muito e o repelente não é essencial, nunca tive problemas com picadas de insetos em Paranapiacaba.




Para quem conhece a região, uma curiosidade. De um ponto da trilha, é possível avistar o topo das torres azuis da igreja de Taquarussu.



Ao longo do trajeto encontramos uma vegetação muito bonita. Logo abaixo duas orquídeas.



Na foto seguinte uma bromélia vista de cima.


As flores azuis são de uma dicorisandra que está começando a desabrochar


Registrei outras flores que infelizmente não sei identificar. O Osmar até me falou o nome de algumas, mas eu já esqueci!





Estas bolinhas azuis eu sei que são venenosas!


As borboletas são lindas mas antes de prepararem suas pupas e realizarem sua metamorfose, elas são larvas. As larvas das borboletas nós chamamos de taturanas. Os meses de dezembro e janeiro são aqueles onde encontramos o maior número delas. Sua presença é fácil de notar já que elas devoram as folhas deixando-as completamente esburacadas! Nessa época, em trilhas fechadas, é extremamente importante utilizar calças compridas. Se sua perna esbarrar em uma dessas e você estiver com uma bermuda, garanto que a experiência será inesquecível.


O uso de um tênis com solado adequado para trilha também é muito importante. No verão, em Paranapiacaba, as chuvas são regulares e o solo está sempre úmido. Os trechos ingrimes são escorregadios. Em alguns pontos cruzamos pequenos córregos onde o musgo torna o andar por cima das pedras uma tarefa que exige cuidado.


Encontrei um morador do local próximo ao riacho. Se onde há fumaça, há fogo, onde há água, há sapo!


Quase no nosso destino, cruzamos o rio e passamos por uma queda d'água muito bonita.
Na primeira foto a queda d'água propriamente dita. Na foto seguinte a queda está atrás de mim e vemos o ponto onde a água desce e forma a banheira de pedra que está na terceira foto.




Após 3 horas e 40 minutos de caminhada, o banho refrescante foi meu prêmio. A exuberância do local é inacreditável. O fato desta trilha não ser fácil, garante a visitação de poucas pessoas o que mantém o local preservado e a beleza da natureza e os sons encheram meus olhos e ouvidos.

Depois em um lanche reforçado (que levei de casa, é claro!), iniciei meu retorno. Por volta das 15:00 horas estava na metade do caminho e fui surpreendido pela neblina típica da região. O visual da mata enevoada é diferente, produziu uma sensação de acolhimento que me fez sentir parte do local. Me diverti com isso, já que esse cenário é típico das florestas assombradas que vemos nos filmes.





Quase no final da trilha pela mata, uma última surpresa para colorir o dia. Uma samambaia com folhas cor de rosa!


E ao chegar na vila satisfeito pelo passeio encontrei mais um pouquinho da beleza da natureza que rodeia o local. 


Álbum de fotos no Picasa:
No Picasa você pode fazer o download de todas as fotos