quarta-feira, 17 de abril de 2013

Ilhabela - Trilha do Baepi - Atualização


Recentemente entrei em contato com o Guido Botto, guia fantástico que me acompanhou em Ilhabela na Trilha do Baepi.

Ele é divertidíssimo, conta histórias muito legais sobre a ilha, é muito culto e tem um condicionamento físico de dar inveja!

Se você não leu a postagem sobre o Pico do Baepi, clique no link abaixo:
http://www.robinsonmilani.com.br/2012/11/ilhabela-trilha-do-baepi.html


Quando escrevi o artigo sobre a trilha, não localizei as informações de contato do Guido, provavelmente havia anotado em algum papel que se perdeu. Recentemente o rosto dele apareceu nas sugestões de amizade do Google+. Fiquei muito contente, retomei o contato, e ele gentilmente me atualizou sobre as condições do Baepi.

Fiquei feliz em saber que a equipe do parque estadual realizou a necessária manutenção da trilha, tornando o passeio mais agradável.


Abaixo a reprodução do e-mail que recebi do Guido no dia 30 de março de 2013, com as informações atualizadas sobre o parque e informações de contato completas para que você possa agendar com o ele um passeio fantástico por Ilhabela.


"Oi Robinson,

...... gostaria que você ficasse sabendo das grandes mudanças na trilha que finalmente conseguimos.
Para realmente saber destas mudanças, seria até interessante você poder fazer esta trilha de novo.

Veja bem, uns 2 anos atrás o Parque me contatou para traduzir uns textos ao inglês para colocar em todas as placas das trilhas do Parque.

Há uns 2 meses uma força tarefa subiu cada trilha e os monitores trocaram todas as placas das trilhas do parque.

Na mesma ocasião eles também ampliaram a trilha na parte do capim e consertaram todos os trechos ruins e colocaram degraus nos locais mais difíceis.

Portanto, a sua experiência da trilha descreve muito bem como ela estava naquele momento, porém hoje seu blog não representa mais a realidade atual.

Pode incluir os meus dados:
Fones:
12-3896-4295,
12-8143-1436,
12-9106-5394,
12-8837-1483,                      

e-mails:
g_botto@terra.com.br
eg_botto@hotmail.com

Sites temporários, atuais, pois estou em fase de fazer outro site: www.kayakilhabela.blogspot.com  em português e www.kayakingbrazil.blogspot.com  em inglês.

Fico à sua disposição para quaisquer outras informações ou para propiciar a você e à sua esposa outras opções de passeio idílicos aqui na ilha!

Desejo a vocês uma boa Páscoa e espero ter contato com vocês de novo.

Um grande abraço,

Guido"

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Balanço do primeiro semestre, algumas revisões e o que há por vir

Queridos leitores, hoje, dia 15 de abril de 2013, este blog completou 6 meses!

Foram 20 artigos nos quais eu falei um pouco sobre as minhas experiências e escrever cada texto me proporcionou muito prazer. Ao falar sobre atividades que realizei, o processo de produção do artigo me faz reviver as experiências.


O intuito dos meus textos sempre foi e continuará sendo, criar conteúdo que possa ser usado como referência para aqueles que desejam realizar atividades ao ar livre. Eu me esforço para incluir mapas, guias, rotas de GPS, informação sobre como chegar, onde ficar, sites e telefones para que você possa realizar o mesmo passeio se quiser. Também procuro incluir muitas fotos, videos e descrever como me senti durante cada uma das experiências pra te deixar com vontade de sair de casa! Quero todos vocês longe do sofá! :D


Recebi alguns retornos e comentários sobre algumas das postagens que já fiz e nas próximas duas semanas irei complementar e melhorar alguns dos textos que já estão no blog.


Após isso, retomo o conteúdo novo e para os curiosos sobre os temas do próximo semestre, segue uma lista das atividades que estão planejadas e que estarão do blog.


- Rota Marcia Prado - Para quem não sabe do que se trata, é uma rota realizada de bicicleta partindo de São Paulo até Santos, utilizando a Estrada de Manutenção da Ecovias

- Uma trilha a pé de 12 horas partindo de Paranapiacaba que me levará até algumas cachoeiras do Rio Quilombo, cujo vale se localiza entre as regiões de Paranapiacaba, Cubatão e Bertioga. Quero explorar bastante as filmagens da trilha. Como sou inexperiente com a filmadora, também vou tirar muitas fotos como garantia!


- Pretendo programar alguma viagem longa com a bicicleta. Deverá ser a minha primeira experiência ciclo turística com duração maior que dois dias.

- Devo iniciar treinos mais direcionados para a realização da minha primeira maratona, e vou compartilhar com vocês tudo que aprender com a experiência. O projeto é correr a primeira maratona da minha vida em 2014. Quero correr os 42 Km no mesmo ano em que completo 40 anos, um presentão de aniversário!

- Também devo incluir alguns artigos sobre viagens e trilhas que fiz ano passado.

Um grande abraço, e obrigado por ler!

terça-feira, 2 de abril de 2013

Desafio Bicicletas ao Mar

Participei da terceira edição do Desafio Bicicletas ao Mar, organizado pelo André Pasqualini (O bicicreteiro).

O desafio teve 5 semanas de duração com simulações de ciclo viagens todo domingo, e dois treinos noturnos em cada semana. Para detalhes sobre os passeios e como o projeto do desafio funciona, recomento que acesse o blog do André (http://bicicreteiro.org/2013/03/29/como-foi-o-3o-desafio-bicicletas-ao-mar/).


O projeto original culminaria com a realização da Rota  Márcia Prado. Chegaríamos ao mar partindo de São Paulo e desceríamos a estrada de manutenção da Rodovia dos Imigrantes até o litoral. Mas as chuvas de fevereiro destruíram a estrada de manutenção inviabilizando esta rota. Várias estradas e cidades do litoral do estado de São Paulo sofreram muito com as fortes chuvas e estavam em estado de emergência, o que nos deixou com a opção de ir para Ubatuba pela Rodovia Oswaldo Cruz. A cidade não teve problemas com as chuvas e a rodovia Oswaldo Cruz estava em boas condições.


No domingo, dia 24 de março de 2013, todos os desafiantes partiram de Taubaté seguindo para Ubatuba. Mas havia duas opções para chegar até Taubaté, ir de ônibus ou pedalar até lá! Eu optei pela segunda opção. Partimos da Praça da Sé no sábado, bem cedo, e percorremos 140 Km.


Honestamente, não tinha certeza se estava preparado fisicamente para percorrer 240 Km em dois dias. (140 Km de São Paulo até Taubaté e 90 Km de Taubaté até Ubatuba). Apesar de ter um bom condicionamento físico e pedalar bastante, essa distância seria o meu recorde pessoal.


Agora, depois da experiência, posso afirmar que no meu caso, o desafio físico foi menor que o desafio mental. É claro que é loucura tentar algo do tipo sem antes preparar o corpo. Sem o devido condicionamento físico, uma experiência que deveria ser fantástica se transforma em tormento e sofrimento, e ninguém deve se submeter a isso. Mas preparei meu corpo de modo gradativo e em ambientes controlados. 


Não havia submetido minha mente à experiência de estar a 40 Km de lugar algum, contando somente com minhas pernas, braços e cabeça para chegar ao meu destino. Esse distanciamento do comodismo do carro, do ar-condicionado, das estruturas de conveniência e suporte que estamos acostumados a ter, provoca um pouco de medo e um enorme frio na barriga! Mas ao mesmo tempo, esse afastamento deliberado da infra-estrutura de apoio, cria uma enorme sensação de auto-suficiência e faz um bem enorme para a nossa auto-estima.


Eu carreguei água, comida, uma troca de roupa, ferramentas da bicicleta e uma jaqueta impermeável, além da filmadora e máquina fotográfica. Tudo isso eu coloquei em dois pequenos alforges, um no guidão e outro no bagageiro traseiro. 


Saber que somente com esses objetos eu resolveria todos os meus problemas, modificou minha percepção em relação ao quanto nos fragilizamos e nos tornamos dependentes de certas coisas. Esta é uma sensação que eu já havia sentido, mas num nível muito menor. 


Eu treino corrida de rua e simplesmente me acostumei tanto com a chuva que ela não me perturba mais. Eu me divirto caminhando no parque durante a chuva, acompanhado de mais alguns colegas corredores, enquanto observo a multidão desesperada procurando abrigo. O contexto "civilizado", o mundo moderno, nos afastou muito de nossa origem animal, muito mais próxima da natureza, do sol, da grama, da chuva, das flores, dos pássaros e de toda essa estética linda, impossível de captar sentado no sofá.


A experiência na bicicleta foi muito mais intensa que a da chuva no parque. Pedalando à 30 Km/h, com o céu sobre o capacete, o vento no rosto, sentindo o coração pulsar e o sangue fluindo, eu observava os olhares admirados de alguns passageiros de carros que desaceleravam para observar nosso grupo. Eu tinha certeza que eles estavam me achando completamente maluco, assim como eu acho maluco quem se priva da alegria de vivenciar na pele essa sensação de poder, de conquista que vem do movimento do corpo.


É por conta dessa sensação, que as pessoas choram quando realizam grandes feitos físicos. Tem gente que chora na largada, tem gente que chora quando chega ao destino e tem gente que chora antes, durante e depois! Quem já teve a oportunidade de participar ou assistir de perto uma maratona sabe do que estou falando. O choro vem da enorme emoção que é sensação de realização pessoal contida naquele momento.


Eu não chorei no final deste desafio, mas minha cabeça ficou processando todas essas emoções e percepções durante a semana que passou. Sem dúvida essa experiência mudou minha vida para sempre.


Agradeço muito ao André Pasqualini, que organizou o desafio e cuidou de todos os detalhes para garantir a nossa segurança com muita competência. Agradeço aos guias que acompanharam os grupos de ciclistas e a todos aqueles que percorreram o mesmo caminho. Eu sei que para cada um esse desafio teve uma conotação diferente, cada um viveu a experiência de um modo e nossas conclusões podem ser muito diferentes, mas tenho certeza que a emoção de concluir o caminho foi grande para todos que participaram. 

Abaixo seguem dois vídeos. O primeiro tem trajeto de São Paulo até Taubaté e o segundo tem somente o trecho da descida da serra na Rodovia Oswaldo Cruz.

Assim que terminar a edição do vídeo do segundo dia, atualizarei essa postagem.

No final da postagem, estão os arquivos com os treinos e rotas e treinos do Garmin Connect e Endomondo.






Álbum de fotos:
Clique aqui para visualizar mais fotos no Picasa

Arquivos com as rotas: 
Link com a rotas (courses) no garmin connect:
da Praça da Sé até Taubaté: http://connect.garmin.com/course/3110808
de Taubaté até Ubatuba: http://connect.garmin.com/course/3115697

Link com as rotas no Endomondo:

da Praça da Sé até Taubaté: http://www.endomondo.com/routes/168952165
de Taubaté até Ubatuba: http://www.endomondo.com/routes/169144581


Link com os treinos que realizei nos percursos acima:
da Praça da Sé até Taubaté: http://connect.garmin.com/activity/288725520
de Taubaté até Ubatuba: http://connect.garmin.com/activity/288725559
Ubatuba - Finalmente o mar: http://connect.garmin.com/activity/288725580

Se você criar uma conta no Garmin Connect (gratuitamente) e conectar com o seu usuário, terá acesso a opção de exportação do arquivo com o trajeto das trilhas acima, nos formatos tcx, gpx e kml.
Se você possuir um aparelho de navegação por GPS compatível com um desses formatos, poderá importar as informações para ele.